Desafio dado é desafio cumprido

  • Queremos entrevistar todos ex-ministros da Educação!
  • Todos?
  • Todos!!!

Assim começou o dialogo com o jornalista Antonio Góis, que chegou até a Farol Filmes com este imenso desafio, que lhe fora dado pelo Ricardo Henriques, superintende do Instituto Unibanco. Desafio que, naquele momento, passava a ser nosso também.

O primeiro passo foi mapear quais ainda estavam vivos e buscar seus contatos, um trabalho executado brilhantemente pelo time do Instituto. A maior tarefa fora iniciar contatos e marcar as entrevistas. A maioria dessas autoridades não está aposentada, nem de pijama. Tivemos que trabalhar com agendas concorridas e percorrer várias cidades, em seis estados, em busca de seus depoimentos.

Com isso entrevistamos literalmente todos os ex-ministros da Educação ainda vivos do país, com exceção de Marco Maciel, que não pode falar por motivos de saúde. Colhemos os importantes depoimentos de 14 autoridades da Educação, que ocuparam a pasta entre os governos João Baptista Figueiredo (1979- 1985) e Dilma Rousseff (2011 – 2016). Uma incrível experiência para a equipe da Farol Filmes, não apenas de produção. Fazer uma imersão no tema e entender como foram tomadas as decisões que conduziram a Educação no Brasil nas últimas décadas é sempre gratificante e inspirador.

Cortar o conteúdo na ilha de edição também foi extremamente difícil, afinal de contas, não poderíamos deixar nada de relevante de fora, e literalmente quase tudo do que foi falado por eles era relevante.

As entrevistas estão disponíveis no Youtube do Instituto Unibanco:

Mas o trabalho não ficou apenas em vídeo. Baseado nos depoimentos, Antônio Góis redigiu “Quatro décadas de gestão Educacional no Brasil”, da editora Moderna.

Ficamos muito orgulhosos com a parceria e ainda mais com os agradecimentos. Com a palavra, o autor:

Cortar algumas dessas entrevistas, tanto para o material audiovisual como para esse livro, foi uma tarefa árdua, e para isso foram fundamentais a paciência e a competência de toda a equipe da Farol Filmes, coordenada por Cristiane Suplicy e Paulo Viana.

Acompanhamos as diversas etapas da complexa tarefa de comunicação que o Colégio São Luís tinha pela frente. Depois de mais de setenta anos no tradicional endereço da região na Avenida Paulista, chegou o momento de avisar aos pais e alunos que o Colégio mudaria para outro endereço, próximo do Parque do Ibirapuera. A nova sede estaria a 7 quilômetros distante da atual.

Quais seriam os impactos da notícia? Como avisá-los que a rotina, pela qual estavam todos acomodados, mudaria de vez?

No primeiro momento criamos o filme oficial, que comunicou ao público sobre a grande mudança. O São Luís mudará em 2020 para uma sede incrível, com um projeto arquitetônico inovador e uma proposta pedagógica ainda melhor. Não era uma tarefa tão difícil para nós, a questão era ajustar o tom, pensar no storytelling.  Optamos por um filme pessoal, com a alta direção do Colégio comunicando pessoalmente a mudança, “mostrando a cara”. Procuramos também, logo nos primeiros momentos, apresentar os melhores diferenciais do novo São Luis, de forma ilustrativa, para que os todos pudessem visualizar facilmente como seria a nova sede e como ela é muito melhor que a atual.

Missão cumprida, assista abaixo:

A notícia foi recebida muito bem para a grande maioria dos envolvidos.

Algum tempo depois, fomos procurados novamente, pois como não poderia ser diferente, ainda haviam aqueles que “não cruzaram a ponte”, que ainda estavam duvidosos ou céticos.

Em reunião de briefing entendemos que um clima de “dúvida” e outro de “certezas” conviviam juntos pelos corredores do Colégio São Luís. Nossa solução de comunicação foi exatamente trazer esses dois climas para frente das câmeras, com as grandes dúvidas sendo respondidas por grandes certezas, tudo feito na boca dos principais protagonistas e principais interessados nessa mudança, os alunos.

A experiência foi incrível (assista aqui), alunos empolgados, atuando como profissionais. Conseguimos abordar temas como revisão de currículo e capacitação de professores de forma leve, divertida e o principal, inclusiva, importante para próprio São Luís, que valoriza seus alunos.

Hoje, menos de 1 ano depois do primeiro filme, o Colégio São Luís está com fila de espera em quase todas as séries e os alunos estão ansiosos para estarem lá!